Ecochique na Marie Claire de junho

Depois de três meses fora do espelho da Marie Claire (ah, esses anúncios que derrubam a gente, viu?), a coluna Ecochique voltou na edição de junho da revista. Vocês já viram?

Dá uma olhada nela abaixo, mas para ler vá no blog Ecochique pois eu vou subir uma nota por dia durante esta semana. Algumas com mais fotos e até vídeo. A de hoje é sobre um vinho natural e orgânico delicioso.

ecochique-junho2010

Ah, vale lembrar que o blog Ecochique está sempre com notícias quentinhas e dicas ótimas (mesmo quando a coluna impressa “cai” rsrsrs).

Almoço com Phillipe Pacalet, C’ était superbe!

Anteontem tive um almoço muito gostoso. Fui conhecer o produtor de vinhos naturais francês Phillipe Pacalet. Quando digo “natural” me refiro ao cultivo da uva e maneira de vinificação e produção geral. Tudo no seu chateau é feito de maneira artesanal. Até o engarrafamento e a colocação das rolhas são feitos um a um. E mais, ele somente adiciona sultifos se for necessário e sempre em quantidade mínima, diferente do que faz a maioria dos produtores. O resultado é um vinho saboroso e muito fácil de beber. E mais, que não dá dor de cabeça (já que os sulfitos são responsáveis pelo “mal à la tête” após o consumo).

vinhos

Seu estilo de vida sempre foi muito ligado à terra e à natureza. Ele ressalta que é importante os consumidores saberem que existem duas vertentes de produtores de vinhos (o que não quer dizer que alguma dela esteja errada ou seja pior que a outra. É somente uma constatação). A primeira, da qual Phillipe faz parte, reúne aqueles que amam o vinho e trabalham com o coração, por paixão. Para quem a vinicultura é uma arte. E isso dá para ver pela cara que ele degusta uma de suas “criações”. Aí eu constato: Vinho é feito para dar prazer.

philippe

A segunda é composta por pessoas que fazem do vinho um business, que querem somente ganhar dinheiro com isso e garantir maior produtividade. Eles não têm uma relação íntima com a terra e com o processo de produção. São empresas que normalmente usam altas doses de conservantes químicos, bem como fertilizantes e pesticidas sintéticos no manejo da uva. Esta vertente foi responsável por disseminar o consumo do vinho, pois ela consegue fazer produtos mais baratos e, portanto, acessível a um maior número de pessoas.

Apesar de Phillipe fazer parte do grupo de produtores “naturais” (uma vertente na França que segue os conceitos dos produtos orgânicos desde o cultivo da uva até o produto final), ele não conta com nenhuma certificação. “Não existe vinho orgânico. O que existem são uvas orgânicas”, diz ele. Isso se aplica às leis europeias. Mas a boa notícia é que por aqui podemos sim ter vinhos orgânicos.

O IBD já faz a certificação de todo o processo de que recebe um selo de “vinho orgânico”. “Existe sim vinho orgânico, inclusive, existe vinho biodinâmico. A certificação compreende desde os insumos utilizados para a produção, a produção em si até o processamento e comercialização. Ou seja, existem critérios de avaliação para todas as etapas da cadeia produtiva que atendem as normas orgânicas ou biodinâmicas” explica Tom Vidal, gerente comercial do IBD. O Tom sempre me ajuda com as dúvidas técnicas que tenho. “Merci” por mais este esclarecimento, Tom.

Voltando ao almoço, fomos ao Piselli (aliás, que delícia a massa com ragu de pato e a entrada de camarão que comi! Ambos harmonizados, claro) e tudo estava muito agradável e com a mesa cheia de gente legal. Além do Phillipe e da sua mulher Monica (uma brasileira), estavam Mayra Oliveira (assessora de imprensa), a Juliana La Pastina (do marketing da WorldWine) e o Jacques Trefois (consultor de vinhos naturais da WorldWine).

mesa

Green Hot List – para iniciados

Para terminar a primeira semana do ano e a Green Hot List para 2010, resolvi pegar mais firme e dar algumas dicas para os já iniciados. São atitudes, algumas não tão simples, para quem quer mesmo colocar a mão na massa. Vamos lá.

21. Invista em alimentos orgânicos. Alguns são mais caros mesmo, mas fazem super bem para a saúde. Bebidas também podem ser orgânicas e sem conservantes, como sucos.

E para quem prefere alcoólicos, vinhos orgânicos e biodinâmicos são uma ótima opção. São saborosos e, por não conter conservantes, não dão dor de cabeça. Quem quiser uma “loira gelada”, a Eisenbahn tem uma cerveja orgânica certificada. Uma delícia!

eisenbahn

22. Se você quer um pet (cachorro ou gato), que tal adotar um? Além de você estar ajudando um filhote fofo a ter um lar, saiba que eles são mais resistentes e pegam menos doenças, o que significa menos dor de cabeça para você.

E se você não quer um pet…pense bem. Eles são tão fofos! E para aqueles que têm filho, o cachorro é um amigão e o gato ensina limites e respeito à criança. Bom, eu sou suspeita. Tenho uma Golden e dois gatos, os três adotados. Fora os dois labradores da fazenda.

Perola

23. Na hora de consumir, pense bem. Já que você está gastando dinheiro, prefira comprar produtos cuja renda é revertida a causas sociais ou ambientais. Claro que somente se tiver opção semelhante ao que você procura.

24. Mas melhor do que comprar é fazer uma swap party! Separe o que você não usa do seu guarda-roupa e reúna as amigas para um happy hour diferente. O objeivo é trocar as roupas que você não quer por as peças que você cobiça das suas amigas. A diversão é garantida! Olha esse vídeo de uma swap party que eu fiz no ano passado.

25. Essa é a dica mais difícil. Não por sua complexidade, mas sim porque somente quem mora em casa vai conseguir fazê-la.

Construa uma composteira no seu jardim, bem longe dos cachorros e gatos por favor. Basta intercalar camadas de lixo orgânico e terra com húmus (minhoca) dentro de um engradado que possa ser vedado (e o cachorro não consiga abrir).

Imagina que máximo a redução de lixo não reciclável que você teria! E ainda por cima ia ganhar terra adubada para o seu jardim. Se anima?

OMelhorVinho traz orgânicos, biodinâmicos e naturais

Nossa, que diazinho safado, hein? Um frio, chovendo…não dá vontade de sair da cama. Mas para vencermos a preguiça, nada melhor do que pensar em algo gostoso e estimulante para hoje. Ver TV e ficar na frente do computador embaixo do cobertor são duas opções. Mas existem muitas outras. Que tal um vinho? Sensação de déjà vu? É, em outro dia frio falei sobre um vinho orgânico.

Mas hoje quero falar sobre um site de vinhos que se dispõe a ser aquele amigo que entende tudo do assunto. É o primeiro site de busca de vinho por categorias que podem ser combinadas. Como, por exemplo, característica e preço.

O www.OMelhorVinho.com.br traz boas opções de vinhos orgânicos, biodinâmicos e naturais. Para isto, basta escrever na busca uma destas palavras e você verá a lista. Além de ver a pontuação e crítica sobre o vinho (o site pertence à Revista Adega), você pode comprá-lo. É uma parceria com o UOL e seu canal de compras, o Shopping UOL. Mas para isto é preciso se registrar no site O Melhor Vinho, que traz o melhor vinho para cada um.

O conosseur Luiz Gastão Bolonhez (LGB) fez em abril ou maio a capa sobre vinhos orgânicos, biodinâmicos e naturais para a revista Adega. Foi um sucesso, o que mostra interesse crescente pelo assunto. E no www.OMelhorVinho.com.br é possível ver as críticas dos rótulos que ele experimentou.

Ah, e por falar em Revista Adega, o site trouxe esta semana uma matéria falando da vinícola californiana St Helena que ganhou certificado de sustentabilidade. Clique aqui para ler a matéria.

imagem73

Related Posts with Thumbnails