A revolução da educação está nas telas

A tradicional frase “Saia do computador e vá estudar” está perdendo o sentido nos dias de hoje. O que antes era visto como entretenimento e passatempo, hoje já pode ser considerado sinônimo de aprendizado e acesso à educação de ponta.

Esta é a proposta da Khan Academy e do iTunes U. Este último oferece aulas gratuitas, seja em áudio, vídeo ou texto, de diversas e renomadas universidades do mundo todo. Elas podem ser acessadas por aplicativo de iPad, iPhone, iPod Touch ou mesmo pelo computador. Para descobrir as aulas basta procurar cursos pelas áreas do seu interesse ou pela lista das universidades. Uma busca por um assunto mais específico também pode ser feita. Entre as faculdades que disponibilizam material gratuito estão a New York University, a Columbia University, o MIT (Massachussets Institute of Technology), a Harvard University, a Cambridge University entre muitas outras famosas instituições.

Já a Khan Academy, fundada em 2006 pelo norteamericano Salman Khan, é uma empresa que fornece gratuitamente conteúdo educativo para estudantes do ensino fundamental por meio de vídeos postados no Youtube. Sua proposta é simples: em vez dos professores gastarem seu tempo com aulas expositivas e pedirem que os alunos façam lições de casa sobre o assunto, eles devem aprender o tema assistindo às aulas no Youtube e chegar na classe com dúvidas a serem esclarecidas ou prontos para responder questões e desafios do professor. Assim este passa a ter o papel de tutor e garante maior interação na sala de aula, como é feito na tradicional universidade inglesa de Oxford.

O mais encantador disso é pensar que uma criança menos privilegiada de um país pobre pode ter a mesma aula que os alunos das melhores escolas do mundo. Basta ter sede de informação para aprender. Hoje já sao mais de 3.800 videoaulas de cerca de 10 minutos cada e mais de 200 milhões de acessos. O segredo está na maneira didática e atraente como as matérias são exibidas.

No mês passado a Fundação Lemann assinou um contrato de 5 anos com a Khan Academy para traduzir todo o conteúdo para o português e disseminar a ideia no Brasil. Mas antes mesmo da parceria estar no papel, 400 vídeos haviam sido traduzidos e usados por 10 escolas públicas de São Paulo e Santo André. A aceitação parece estar sendo boa, pois os alunos estão faltando menos e participando mais na classe.

Esta revolução na educação tende ao sucesso, pois traz algo atraente aos jovens de forma que o aprendizado seja mais prazeiroso. Agora só nos resta torcer para que as escolas “comprem a ideia” e que os governos invistam em infraestrutura para que as escolas e os alunos tenham acesso à internet.

(coluna escrita por mim e publicada na edição de fevereiro de 2013 da revista valeparaibano)

A onda dos gadgets descolados e eco-friendly

Gadgets eletrônicos viraram objetos de desejo nos dias de hoje. E quanto mais modernos e futurísticos, mais agradam o público. Entre as tendências do mundo geek, uma chama a atenção por ter seu lado eco-friendly bem aguçado. São os aparelhos que funcionam com energia limpa e renovável.

Os mais comuns são aqueles que usam o sol como fonte de energia. No Brasil já é possível encontrar uma mochila com placas solares que recarregam notebooks, celulares e mp3 players, por exemplo. Além de sua utilidade, seu design descolado vem conquistando os mais high-techs e muitos fashionistas.

Ainda da mesma família, mas menores e mais em conta, estão as lanternas, os carregadores solares de celulares e uma versão exclusiva para iPhone, que também faz a vez de capa de proteção. Para quem gosta de acampar ou fazer trilhas, eles podem se transformar em um item fundamental e de segurança.

De olho nesta “necessidade contemporânea”, algumas empresas de tecnologia já estão investindo neste mercado. No ano passado, a Samsung lançou no Brasil o Blue Earth, um celular com placas solares que carregam o aparelho e dispensam a eletricidade.

Agora, a marca acaba de lançar nos Estados Unidos um netbook com a mesma tecnologia. Pode ser usado na praia, no campo ou receber energia do sol que entra pela janela de casa ou do escritório. Conforme seu desempenho de venda e aceitação, a novidade será exportada para outros países. Nos resta, então, torcer.

Mas as pesquisas de novas tecnologias não param e cada dia trazem mais inovações e aplicações funcionais para suas descobertas. É o caso da operadora de celular europeia Orange que apresentou na última edição do badalado festival de música de Glastonbury, na Inglaterra, o protótipo de uma camiseta que abriga um dispositivo que absorve as ondas sonoras dos shows e transformam-nas em energia para carregar o celular – que pode ser colocado no bolso da mesma para tal.

Estes são só alguns exemplos do que está por vir para ajudar o planeta na busca pela energia limpa e renovável. E mais uma prova de que ser sustentável é “cool”.

(artigo escrito por mim e publicado na edição de setembro de 2011 da revista valeparaibano)

The Story of Electronics

A semana passada foi muito corrida e acabei não conseguindo colocar aqui no Verdinho Básico o documentário que eu havia falado que seria lançado no dia 9 de novembro. Annie Leonard desvendou agora a indústria de eletrônicos. O resultado pode ser visto no vídeo abaixo. Em apenas 7 dias de exibição, The Story of Electronics já foi visto por mais de  90 mil pessoas. Vale muito assistir.

iPad: sem lixo e reciclável

Eu preciso de um iPad!!! Não quero parecer uma fã neurótica da Apple (apesar de ser e estar encantada com este lançamento), mas realmente este gadget chegou para mudar conceitos e comportamentos.

tela-ipad

Vamos pensar um pouco comigo. É um único produto que tem as funções de um netbook (email, browser de internet, agenda telefônica, calendário e espaço para escrever texto), de livro, caderno, revista ou jornal (e-reader), tocador de música (iPod), video game, álbum de foto (e porta-retrato), tela de vídeo, diversas opções de software e traz 3 lojas online (iTunes para comprar músicas, App Store para comprar softwares e iBook para comprar livros). Além disso é feito com alumínio e vidro recicláveis, tela iluminada por LEDs e sensível ao toque. Para quem sente a falta de um teclado, ele pode ser encaixado no iPad que vira uma tela (e pode ser retirado na hora de sair de casa).

ipad

Ou seja, adeus de vez aos CDs (que viram lixo) e aos livros em papel (mais lixo). Além disso você pode carregar milhares deles em um só lugar que pesa 680g (Wi-Fi) ou 730g (Wi-Fi + 3G). Ah, tem isso, você pode comprar a versão que é como um computador com conexão somente por Wi-Fi, ou pode ainda escolher a opção de Wi-FI + 3G, onde com o chip do celular é possível acessar à internet. Na verdade ele é um iPhone maior e melhorado.

Seu tamanho é de 24cm por 19cm e tem capacidade de 16GB, 32GB ou 64GB. Seu processador de 1GHz foi criado especialmente para o iPad e chama Apple A4. Ele garante alta performance e consome pouca energia. A bateria aguenta 10 horas de uso contínuo ou 1 mês em stand by.

Para quem não gosta quando o iPhone fica com as marcas de dedos, o iPad chega com uma película que impede deixar impressões digitais pela tela.

O vidro utilizado no display é livre de arsênico e a camada de LCD é livre de mercúrio. Além disso o iPad não usa nenhum componente de PVC nem BFR, substância proibida na Europa e criticada nos Estados Unidos que é normalmente usada para prevenir que aparelhos eletrônicos peguem fogo. Estudos mostram que ela pode fazer mal à saúde quando em contato com a pele de seres humanos e de animais.

imagem-apple

Enfim é cool, eco e chique!

Green Hot List 2010 – Tecnologia

Seguindo a Green Hot List para 2010, agora é a vez da tecnologia. Porque não basta inovar tecnologicamente. É preciso fazer isso pensando no bem estar do planeta. Ultimamente cada vez mais produtos são criados, não apenas para trazer um novo recurso, mas também para fazer isso de forma mais “verde”.

Vamos à lista.

11. Novo Macbook Pro, com case de alumínio, da Apple. Feito com alumínio reciclado e tela de vidro, esse computador não traz nenhuma peça que use PVC, fazendo com que seja menos danoso ao meio ambiente. Mais ainda, o Macbook Pro vem com tela de LED que reduz em 30% o consumo de energia. E, como se não bastasse, a própria embalagem é de 30% a 40% menor do que o normal, reduzindo os gastos com papelão.

redesigned20090828

12. Para quem quer reduzir o consumo de energia de seus equipamentos eletrônicos, a dica são os carregadores solares. Para o IPhone já existem diversos modelos com vários recursos. Alguns carregadores tem uma bateria interna própria que fica carregando mesmo quando o IPhone não está plugado nele. Depois é só aproveitar a energia acumulada.

iphonesolar-pm

Ainda para quem anda sempre com mochila nas costas, carregando notebook, celular, mp3 e outros gadgets, já existem mochilas com painéis solares que alimentam estes aparelhos.

backpack-silver6v

13. Sucesso de vendas nos Estados Unidos, finalmente chegou ao Brasil o Kindle, leitor de livros eletrônicos da Amazon. A grande vantagem do Kindle em relação a outras gerações de leitores é que ele não utiliza tela de LCD ou LED como nos computadores e sim uma tecnologia que é conhecida como tinta eletrônica que quase não gasta bateria e dá a mesma sensação de se ler no papel.

kindle2_leakedshot2

14. Para se transportar e ajudar o planeta, existem várias opções. Talvez a mais conhecida e divulgada seja o carro Flex. Já está mais do que na hora de trocar os carros a gasolina e os poluidores a diesel por um flex. Mas não basta trocar o carro. É preciso começar a usar álcool combustível no lugar da gasolina.

Para quem quiser arriscar mais tencologia, vêm aí os carros híbridos, com motor elétrico e combustão, muito mais limpos que qualquer outro. Um exemplo é o Volt, da GM.

gm_volt_61

15. Mas talvez a forma mais fácil de lidar com a poluição seja, para quem pode, pegar a boa e velha bicicleta. Aí não tem erro.

Related Posts with Thumbnails