O consumo te consome?

Consumo consciente é um tema cada vez mais presente no dia a dia das pessoas. Mesmo para aqueles que não se importam com o destino do lixo ou com tópicos mais abrangentes como sustentabilidade, o acúmulo de tranqueiras em casa é algo que incomoda as pessoas. E isso só existe pois o mundo compra muito mais do que precisa e do que usa.

Para estimular a reflexão antes, durante e depois do consumo, a empresa de cosméticos Natura criou o movimento “Sou para Todos Nós”. A ideia é levar para o maior número de pessoas esta questão, sem apontar o que é certo ou errado. Mas mostrando experiências e opiniões de pessoas que estão engajadas no assunto.

Para isso foi escolhido um lugar bem democrático: a internet. Através de Hangouts – bate papos virtuais -, grupos de convidados discutiram diversos temas do universo do consumo. Cada encontro durou cerca de uma hora, e um minidocumentário nasceu de cada uma dessas conversas.

Fui convidada para participar do pontapé do projeto, cujo tema foi “O consumo te consome?”. Confesso que gosto de consumir, mas felizmente o consumo não me consome! Veja abaixo o minidocumentário ou, se tiver tempo, o bate-papo na íntegra. E aí, o consumo te consome?

Termo sustentabilidade foi banalizado. Mas a essência continua valendo!

Muita gente não aguenta mais ouvir a palavra sustentabilidade. O termo caiu na graça de empresas, principalmente na área de marketing das mesmas, e de veículos de comunicação, que têm quase a obrigação de tratar do tema devido a sua relevância. O resultado? A banalização de um conceito tão importante nos dias de hoje.

Sabe-se que o tripé da sustentabilidade se refere às esferas social, ambiental e econômica. Como foi definido pela Organização das Nações Unidas (ONU), “desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”.

Apesar da ideia ser ampla, ela se transformou realmente em um dos adjetivos favoritos de todos que querem ter uma boa imagem. Esta colheita é sustentável; este perfume tem essências extraídas de forma sustentável; este gado é tratado de forma sustentável; esta floresta tem manejo sustentável… e por aí vai.

Isso causa rejeição mesmo nos mais conscientes. No mês passado (abril 2011), estava no debate Trajetos Costurados, realizado em São Paulo, e eu trouxe à tona a sustentabilidade na moda, um dos setores que mais emprega no País. Estavam lá os estilistas Ronaldo Fraga, Jum Nakao, Fernanda Yamamoto e Agustina Comas. De cara, Ronaldo torceu o nariz. “Não suporto mais ouvir esta palavra”, debochou.

Mas atenção, isso não significa que ele não acredite na importância de se aplicar este conceito. “Eu prefiro falar em humanização de processos dentro das empresas”, diz. Segundo ele, isso engloba se preocupar com as questões socioambientais e garantir um comércio justo, sem exploração de trabalhadores.

Rejeição e nomenclatura à parte, uma ponto que ganhou unanimidade é que hoje “ser sustentável” é um diferencial. Contudo este adjetivo deve virar, a curto prazo, uma obrigação. “Antigamente falava-se que um produto era bom porque tinha qualidade. Hoje, espera-se que todos tenham boa qualidade”, compara Ronaldo.

Mas na prática, se o termo sustentabilidade tivesse que ser resumido em uma só palavra, qual seria? Respeito! Isso mesmo. Um desenvolvimento sustentável é aquele que respeita as pessoas, o meio ambiente e tudo o que nos cerca. E isso é básico, né? Será que é pedir muito?

(artigo escrito por mim e publicado na edição de maio de 2011 da revista valeparaibano)

Chiara Gadaleta cria Instituto #SSE

No dia 13 de janeiro, a apresentadora e stylist Chiara Gadaleta criou o Instituto #SSE. O lançamento foi no Rio de Janeiro e, apesar de estar na cidade maravilhosa naquela data, infelizmente não consegui comparecer. A ideia é conscientizar e colocar em prática a sustentabilidade no mercado da moda. Veja a entrevista abaixo, onde Chiara explica tudinho. Parabéns aos envolvidos!!!

Escolha os melhores no Prêmio GreenBest

Foi dada a largada na semana passada para o GreenBest, o maior e mais abrangente prêmio voltado à sustentabilidade do Brasil. É a primeira vez que o internauta e consumidor brasileiro vai poder escolher quais os melhores produtos, marcas, projetos e iniciativas em prol do meio ambiente e da conscientização “verde”. Com o resultado, o mercado recebe um feedback da percepção de mercado.

Além da votação popular, o GreenBest tem um júri oficial batizado de Academia GreenBest que garante uma avaliação de especialistas e profissionais da área. É o reconhecimento mais técnico que faz com que os brasileiros conheçam as principais iniciativas e as tomem como exemplo para possibilitar ainda mais o crescimento deste mercado em expansão. A auditoria fica por conta da Ernst & Young Terco.

São 16 categorias: Alimentação, Arquitetura e Construção, Beleza, Campanhas Publicitárias, Energia, Iniciativas Governamentais, Jornalista e Blogueiro, Materiais Inovadores, Moda, Móveis e Decoração, ONG, Personalidade do Ano, Sites e Aplicativos, Tecnologia, Transporte e Veículos de Comunicação. (clique em cima de cada uma para ir para a página de votação da respectiva categoria)

A votação vai até 16 de março. Depois serão apurados os votos e em 29 de março começa a votação entre os 3 finalistas de cada categoria. Dia 17 de maio serão anunciados os vencedores. Participe!

“Férias” + Feliz Ano Novo

O ano de 2011 começou. Nem acredito que já acabou a primeira década dos anos 2000. Bom, em primeiro lugar FELIZ ANO NOVO! Desejo um ano verde, sustentável, ecológico… e cheio de estilo, claro. Tenho certeza que a próxima década vai ser marcada pelo comportamento e por atitudes eco-friendly. É a Era da Sustentabilidade.

Mas agora vamos voltar ao blog. Ficamos uma semana sem postar nada. Pois é: férias no meio do mato, na fazenda. Com muitos animais e plantas para cuidar e dias lindos para aproveitar (ok, ok, ontem e hoje teve chuva forte por lá). O bom é que diversas revistas fizeram suas edições especiais de sustentabilidade no fim do ano. Assim deu para ler bastante. Foi a Vida Simples, a Veja Sustentabilidade e a Superinteressante verde.

Bom, mas de volta à labuta,  ano começa já cheio de atividades.  Trabalho e preparação para o Fashion Rio que vem por aí, seguido de outros eventos de moda, e depois São Paulo Fashion Week. Nestes dois eu vou, como nas edições anteriores, conferir nos bastidores o que a moda brasileira vai trazer de “eco”. Tudo pode ser visto aqui. E depois comprado no Greenvana, na seção “Direto da Passarela” que faremos (depois escrevo mais sobre isso).

Enfim, sabe a lista que fazemos todo começo de ano? Aquela com promessas e metas para o ano? Então, um item eu venho aqui expor e me comprometer: no ano internacional das florestas eu prometo voltar a dar mais atenção e dedicar mais do meu tempo para o meu verdinho. É isso mesmo, ao meu Verdinho Básico. Prometo dedicar mais tempo, atenção e trazer posts incríveis. Confiram!

Related Posts with Thumbnails