Pernas cansadas, má circulação e dor nas costas? Livre-se delas!

Com o passar da gravidez a gente vai ficando mais pesada, a circulação vai piorando e as pernas vão ficando mais cansadas. Noite passada, por exemplo, eu quase não dormi. Não havia meio de achar uma posição boa que não doesse as costas. Sem contar as cãibras nas pernas.

Pois é, desde o quarto mês de gravidez eu estou tendo dores na lombar e no ciático. Fiz fisioterapia e tudo. Agora, tenho que fazer alongamento e “manutenção”. Mas a barriga cresce e não tem jeito. Então a gente tem que se apegar a algumas dicas para minimizar o mal estar. Afinal, é um incômodo muito pequeno se comprado à satisfação de sentir o bebê mexendo.

Então vamos lá. Para as pernas inchadas ou doloridas, algumas simples receitinhas e cremes ajudam muito. Primeiro, uma vez por dia coloque as pernas para cima. Deite com o quadril contra uma parede e deixe as pernas retas e erguidas. Assim, o sangue “muda um pouco de sentido”. Sempre que puder, sente ou deite com as pernas para cima, na altura do quadril pelo menos. Eu estou escrevendo este post com a perna sobre aquelas bolas de pilates, sabe?

Para quem está com pequenos vasos aparecendo e a circulação ruim, invista nas meias para grávidas. Eu não gosto de meia calça, pois não quero nada justo na barriga. Uso a versão até o  joelho ou ainda 7/8.

E para as pernas cansadas, um escalda pé e um bom creme dão um alívio especial. Ótimo fazer antes de dormir. Eu, por exemplo, adotei os sais de banho com óleos essenciais de eucalipto e limão (U$ 9) e o creme para pés e pernas com óleo de menta e extrato de alecrim (U$ 10), ambos da Burt’s Bees e 100% naturais.

Quem estiver com cãibras, o melhor é tomar um banho quente pra relaxar os músculos e fazer alongamento na cama antes de dormir. Mas se hidratar com muita água durante o dia também ajuda muito a prevenir essa dorzinha chata.

Agora, a dor nas costas, pra mim, é o pior. Aprendi que a chave para minimizar é fortalecer a barriga. Isso mesmo. Minhas fisioterapeutas aqui mandaram eu fortalecer mesmo, então faço abdominal, agachamento, ponte e outros exercícios. Um banho de banheira morno (não pode ser muito quente, hein?) com sais de banho foi o que me salvou hoje.

E, para terminar, use as cintas para grávidas. Elas aliviam que é uma beleza. Minha irmã tinha me dado uma e estava guardada. Um amiga me lembrou e minha vida mudou depois que comecei a usá-la.

Espero ter ajudado ou inspirado as futuras mães ou mesmo qualquer pessoa cansada e que está sentindo algum dos desconfortos mencionados acima.

Em tempo, experimentei mais dois produtos para hidratar e nutrir a barriga, principalmente, mas que servem para o corpo inteiro. Um é o óleo de limão e amêndoas doce da linha Mama Bee (U$8) e o outro é o Mama Bee Belly Butter (U$ 13), uma mistura, entre outras coisas, de manteiga de Karité, cacau e jojoba.

Brasil proíbe mamadeira com BPA

Antes tarde do que nunca. Até que enfim o Brasil resolveu aderir ao grupo de países que prefere tomar atitudes de prevenção em vez de ver sua população prejudicada por químicos nocivos à saúde.

Depois da União Europeia, onze Estados norteamericanos, Canadá, China, Malásia e Costa Rica proibirem a presenca de Bisfenol A (BPA) em produtos infantis, a Anvisa (Angência Nacional de Vigilância Sanitária) começou a tomar o mesmo rumo, mas limitou-se às mamadeiras. A partir de janeiro de 2012, não permitirá que aquelas contendo esta substância sejam vendidas por aqui.

(Eu escolhi comprar a versão de vidro da marca Dr. Brown’s, mas esta abaixo é livre de BPA, portanto é segura para os bebês)

Para muitos esse nome é desconhecido e pode parecer algo muito longe da realidade. Mas saiba que nao é. O Bisfenol A é usado em plásticos duros e transparentes que, quando aquecidos, liberam esta substância que desequilibra o sistema endócrino. Estudos mostram que ela tem o mesmo efeito que o hormônio estrogênio e pode causar diabete, infertilidade e câncer. Em bebês, a absorção do mesmo ainda é maior e, por isso, mais perigosa.

Você já ouviu a história de que não faz bem para a saúde aquecer alimentos no microondas dentro de tupperware plástico? E que deixar garrafa PET no carro com água sob o sol dia após dia pode contaminar o líquido? Pois é, a razão para ambos é que substâncias, como o BPA, por exemplo, são liberadas em maior quantidade quando aquecidas e contaminam alimentos ou bebidas que serão ingeridos por nós ou ainda por crianças.

Outro lugar onde pode ser encontrado o BPA é no interior de latas de alumínio. Já ouviu a história de que não se pode comer algo de uma lata que esteja amassada? É porque o verniz interno da mesma, quando rachado, faz com que o BPA presente em sua composição entre em contato com o alimento.

Pois é, apesar do nome estranho você deve ter percebido que o BPA está muito mais no seu dia a dia do que você pensa, né? Por isso, algumas dicas são básicas, além dos alertas mencionados acima:

1. Compre mamadeiras, chupetas, copos, pratos e talheres plásticos livres de BPA – e ainda evite aqueles que têm o número 3 ou 7, pois também podem conter a substância.
2. Troque os utensílios e tupperwares de casa pelas versões em metal, bambu ou vidro. Além de você ficar protegida, não deixa cheiro na comida nem no recipiente.
3. Não aqueca nem congele alimentos em recipientes plásticos.
4. Prefira as garrafas de alumínio reutilizáveis nas versões livre de BPA.

Apesar de até recentemente os estudos terem sido feito somente em animais, pesquisadores italianos publicaram na revista Environmental Health Perspectives do mês de agosto que o efeito em humano é o mesmo. Então, pra que se arriscar?

(artigo escrito por mim e publicado em outubro de 2011 na revista valeparaibano)

 

Jovens pelo combate ao câncer

Você sabia que uma mulher em cada três mulheres tem um câncer durante a vida? E um em cada dois homens contraem esta doença? Por isso, jovens de Hollywood se juntaram para fazer a campanha “Mude as probabilidades” para a Stand Up To Cancer’s (SU2C) de arrecadação de fundos para pesquisas sobre o câncer na tentativa de combater esta doença.

Veja o vídeo abaixo e leia mais no Green_Carpet. Lá você vai saber sobre o evento em 10 de setembro que será realizado e transmitido por diversas redes de televisão.

Proibidos lá, mas não aqui

Começo de mês é uma beleza, né? Revistas novas chegam às bancas e a gente corre para comprá-las. A Marie Claire deste mês de agosto, na seção Bem Viver – saúde, traz exemplos de produtos que são proibidos fora do Brasil mas que aqui ainda são super usados. São ingredientes que devem ser evitados em busca de um consumo mais saudável e consciente, como diz a matéria.

Segundo a reportagem da Marie Claire, o chumbo, o mercúrio, o ciclamato e alguns agentes de produtos de limpeza devem ser evitados. Aliás, quem quiser optar por produtos de limpeza caseiros, clique aqui para ler no site da revista (se você ainda não é cadastrado no site da Editora Globo, cadastre-se. É simples). Na minha casa eu uso as diferentes preparações com vinagre, bicarbonato de sódio, sal e limão. E dá super certo.

Related Posts with Thumbnails