Diminua e neutralize a sua pegada de carbono em 2012

Mais uma Confederação das Partes da Organização das Nações Unidas pelas Mudanças Climáticas chegou ao fim no mês passado. Mas, desta vez, algumas resoluções foram assinadas. Ainda bem, pois o fracasso da COP15 e da COP16 foi vergonhoso e não podia se repetir.

O Protocolo de Quioto, que termina em 2012, foi renovado de 2013 até 2017, período em que os países têm de reduzir em 24% a 40% suas emissões de carbono (com base nos dados de 1990). Mas a boa notícia é que os maiores poluidores do mundo, os Estados Unidos e a China, que não são signatários do protocolo, se comprometeram a entrar em um acordo global para redução de emissão de Gases Efeito Estufa (GEE) a partir de 2020.

Tudo parece tão distante, mas não são só os governos que devem ter esta preocupação. A grande verdade é que cada um pode tentar diminuir sua pegada de carbono, ou seja, reduzir as próprias emissões de gases poluentes no mundo. E, mais do que isso, neutralizar o que não puder ser evitado. Isso mesmo.

Para reduzir, as dicas são simples: economize energia elétrica, troque as lâmpadas de casa por LEDs, prefira aparelhos com carregadores solares, use menos gás na sua casa, deixe seu carro na garagem sempre que possível e pedale, encare um transporte público ou ande a pé, produza menos lixo, recicle o que pode e tente fazer uma composteira em casa para transformar lixo orgânico em adubo para as plantas.

Agora, não vai ser de mim que vocês vão ouvir a “dica” de deixar de viajar ou pegar um avião. Sou super a favor do turismo, de conhecer novas culturas e países. Mas, para fazer isso sem peso na consciência, neutralize seu passeio, o que pode ser feito plantando árvores de matas nativas ou ainda comprando créditos da bolsa internacional de carbono.

Algumas empresas e ONGs sérias estão no mercado brasileiro e trazem no seu site uma calculadora para você computar suas emissões não só de férias e viagens, mas do gasto do dia a dia em casa e com deslocamentos. Depois disso é clicar para neutralizá-las. Um valor referente ao plantio das mudas nativas será cobrado e varia de R$ 14 a R$ 17 reais por árvore, o que equivale à neutralização do consumo médio mensal de eletricidade de uma casa com duas pessoas.

A organização Iniciativa Verde e o Banco da Árvore são dois exemplos que merecem atenção. Dá uma olhada no site deles e calcule suas emissões de CO2. E você, já neutralizou sua pegada de carbono? Que tal colocar na sua lista de tarefas para 2012?

(coluna escrita por mim e publicada na edição de janeiro de 2012 na revista valeparaibano)

“No Impact Man” desafia: que tal viver causando o menor impacto possível?

Você já viu o vídeo No Impact Man? O projeto de Colin Beaven começou com a ideia de ficar um ano sem causar impacto ao meio ambiente aumentando seu comprometimento progressivamente durante este período. Ele é escritor e depois de escrever alguns livros resolveu que queria fazer algo para a preservação do planeta sem ser ecochato e cair na mesmice. Foi aí que resolveu entrar em um projeto de um ano de sua vida – levando sua mulher e filha juntas – e relatar esta experiência em blog e livro, que depois virou um documentário, lançado em 2009.

Comecei a ler o livro e estava gostando bastante, mas não terminei. Relaxei quando ganhei o DVD de No Impact Man e assisti. Confesso que fiquei um pouco decepcionada, pois estava esperando desde 2009 com alta expectativa mas o filme ficou sem ritmo e maçante (bem diferente do trailer abaixo). Muitas vezes me peguei bocejando. Uma pena, pois o projeto tem um conceito incrível que tem tudo para ser copiado, seja em partes ou completamente.

Entre os pontos altos estão como a família aprendeu a comer muito melhor ao freqüentar o mercado local e a mulher tratou da sua diabete somente com a mudança de hábitos, a perda de peso dos pais ao andarem de bicicleta e patinete por Nova York e uma maior cumplicidade entre pai, mãe e filha, que trocaram programas na frente da televisão por jardinagem e passeios no parque.

Agora, a maior entre todas as tarefas que a família enfrentou para diminuir seu impacto na Terra aconteceu no sexto mês do projeto: o corte da eletricidade do seu dia a dia. O problema não foi nem a falta de iluminação, mas sim a falta de eletricidade para manter a geladeira funcionando. Sem qualquer tipo de refrigeração para alimentos, tiveram que improvisar e tentar técnicas de outras civilizações. Mas foi em vão.

De todos os sacrifícios e mudanças de hábitos e comportamentos, o que o casal garantiu que não vai conseguir ficar sem é a eletricidade, principalmente por causa da luz, do ar condicionado, ar quente e da geladeira. Até a televisão foi dispensada e não voltará ao endereço de Colin Beaven…desde que ele leve a mulher ao cinema de vez em quando.

Mas o fim desta experiência deu início ao No Impact Project, uma ONG que ajuda causas ambientais e que convida / desafia todo mundo a tentar imprimir menor impacto no meio ambiente. E você, se anima? Veja o vídeo abaixo e saiba como.

Bonita e com baixa pegada ecológica

O blog Green Gloss trouxe página da Marie Claire americana de agosto que mostra como ficar no melhor estilo Jackie O em Cape Cod e com baixa pegada de carbono. Além disso, a matéria fala sobre a marca eleita pela percepção dos consumidores como a mais verde dos Estados Unidos e traz um produto must have – ideal para carregar na bolsa.

Clique aqui para saber mais no Green Gloss.

mc-us-ago2010

Related Posts with Thumbnails