Comércio justo na moda

Quem visitou o Fashion Business na semana passada se surpreendeu com a aglomeração de curiosos em frente ao BSC – Brasil Social Chic, estande de produtos de Comércio Justo.

Os que nunca tinha ouvido falar na versão brasileira do Fair Trade se espantavam pelo bom gosto da decoração do espaço, tudo simples e chic, e das peças expostas, realmente lindas! Quem já conhecia o Comércio Justo, comemorou: finalmente um trabalho sério no Brasil.

As bolsas de fibra de bananeira, de fibra de taboa e roupas com tecidos ecológicos produzidas em técnicas de costura artesanal por cinco grupos de costureiras e artesãos moradores de áreas de risco da grande Rio não perdiam em nada para as grandes marcas.

E, claro, iam muito além do simples comércio. Confecções de Comércio Justo não apenas fazem moda “de verdade”, mas focam na produção e comercialização consciente tanto ambiental quanto socialmente falando.

Além dos visitantes poderem comprar os produtos (eu mesma encomendei um vestidinho produzido pela Coosturarte, de Nova Iguaçu), estilistas podiam consultar um “book” com as técnicas dos grupos para estilistas que desejem incluir alguma delas em suas coleções. E tudo baseado, tanto os serviços quanto os produtos, nos princípios do Comércio Justo.

A BSC – Brasil Social Chic – projeto criado pela Ong Onda Solidária é quem garante que o produto é feito de forma justa, assegurando a melhoria na qualidade de vida das pessoas.

Para quem quiser saber mais sobre Comércio Justo, vale dar uma navegada nos seguintes sites e aguardar uma série de notas sobre o tema aqui no Verdinho Básico.

Related Posts with Thumbnails