Saiba como ganhar sabedoria alimentar de forma simples e divertida

Regras e proibições a determinadas atitudes causam normalmente um resultado oposto. Ainda mais quando o assunto é comida. Não há nada mais irritante que alguém controlando o que você pode e deve comer, seja para lutar contra a balança ou para se alimentar melhor.

A boa novidade é que as regras de alimentação chegaram ao Brasil em um tom divertido e que causa vontade de aderir à maioria delas. É isso mesmo. O jornalista e escritor norte-americano Michael Pollan lançou no ano passado seu sexto livro batizado de Food Rules e traduzido para o português como Regras da Comida – Um Manual para a Sabedoria Alimentar (Editora Intrínseca). Nele, 64 regras respondem a três perguntas básicas: “O que eu devo comer?”, “Que tipo de comida eu devo comer?” e “Como eu devo comer?”. As dicas vêm em capítulos curtos que muitas vezes são compostos apenas pelo título de tão auto-explicativas que são.

A resposta à primeira pergunta é simples: coma comida. Em seguida, algumas restrições dão o tom do livro e fazem com que seja um manual seguido por muitos. “Não coma nada que sua bisavó não reconheceria como comida”, “evite comida que tenha mais de cinco ingredientes”, “evite produtos que tenha ingredientes que uma criança da terceira série não  consegue pronunciar”, “coma somente alimentos que apodrecem” e “não é comida se tem o mesmo nome em todas as línguas (pense Big Mac, Cheetos e Pringles)”.

No segundo capítulo o tema é o tipo de alimento que devemos comer. “Comer o que fica sobre uma perna (cogumelos e vegetais) é melhor do que o que fica sobre duas pernas (aves) que é melhor do que comer o que fica sobre quatro patas (vacas, porcos e outros mamíferos)” é uma dica e tanto. Bem como: “não coma no café da manhã cereais que mudem a cor do leite” ou ainda “coma o tanto de porcaria que você quiser desde que você a tenha preparado”.

No último capítulo, a resposta à pergunta como devo comer é uma só: não muito. Quer saber como? “Pague mais, coma menos”,  “pare de comer antes de ficar satisfeito”, “coma quando você está com fome e não quando está entediado”, “gaste o mesmo tempo aproveitando a refeição que levou para fazê-la” e “compre pratos e copos menores”. Mas a melhor dica do livro e lição para sempre lembrar é “de vez em quando, quebre as regras.” (artigo escrito por mim para a edição de abril da revista valeparaibano)

“No Impact Man” desafia: que tal viver causando o menor impacto possível?

Você já viu o vídeo No Impact Man? O projeto de Colin Beaven começou com a ideia de ficar um ano sem causar impacto ao meio ambiente aumentando seu comprometimento progressivamente durante este período. Ele é escritor e depois de escrever alguns livros resolveu que queria fazer algo para a preservação do planeta sem ser ecochato e cair na mesmice. Foi aí que resolveu entrar em um projeto de um ano de sua vida – levando sua mulher e filha juntas – e relatar esta experiência em blog e livro, que depois virou um documentário, lançado em 2009.

Comecei a ler o livro e estava gostando bastante, mas não terminei. Relaxei quando ganhei o DVD de No Impact Man e assisti. Confesso que fiquei um pouco decepcionada, pois estava esperando desde 2009 com alta expectativa mas o filme ficou sem ritmo e maçante (bem diferente do trailer abaixo). Muitas vezes me peguei bocejando. Uma pena, pois o projeto tem um conceito incrível que tem tudo para ser copiado, seja em partes ou completamente.

Entre os pontos altos estão como a família aprendeu a comer muito melhor ao freqüentar o mercado local e a mulher tratou da sua diabete somente com a mudança de hábitos, a perda de peso dos pais ao andarem de bicicleta e patinete por Nova York e uma maior cumplicidade entre pai, mãe e filha, que trocaram programas na frente da televisão por jardinagem e passeios no parque.

Agora, a maior entre todas as tarefas que a família enfrentou para diminuir seu impacto na Terra aconteceu no sexto mês do projeto: o corte da eletricidade do seu dia a dia. O problema não foi nem a falta de iluminação, mas sim a falta de eletricidade para manter a geladeira funcionando. Sem qualquer tipo de refrigeração para alimentos, tiveram que improvisar e tentar técnicas de outras civilizações. Mas foi em vão.

De todos os sacrifícios e mudanças de hábitos e comportamentos, o que o casal garantiu que não vai conseguir ficar sem é a eletricidade, principalmente por causa da luz, do ar condicionado, ar quente e da geladeira. Até a televisão foi dispensada e não voltará ao endereço de Colin Beaven…desde que ele leve a mulher ao cinema de vez em quando.

Mas o fim desta experiência deu início ao No Impact Project, uma ONG que ajuda causas ambientais e que convida / desafia todo mundo a tentar imprimir menor impacto no meio ambiente. E você, se anima? Veja o vídeo abaixo e saiba como.

Panelinha – Receitas que Funcionam

Na semana passada fui na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, prestigiar o lançamento de mais um livro da Rita Lobo. Mas desta vez foi diferente, pois me senti parte do livro. É isso mesmo. Panelinha – Receitas que Funcionam (Editora Senac) é uma compilação de receitas dos 10 anos do Panelinha, site que participei do projeto e dos primeiros meses de vida. Acho que por isso que meu nome está nos agradecimentos rsrs. Thanks, Ritz!

É de lá que pego as receitas para as Segundas Sem Carne – muitas delas que vi no livro com fotos incríveis. Mas o que mais me chamou a atenção é como o livro está bonito e…pesado. Foi duro ficar carregando ele na fila esperando um autógrafo. E tinha gente segurando dois ou três!

É um livro digno de comemoração, aqueles bem grandes, capa dura, vistosos. Enfim, um livro para deixar na mesa de centro da sala…ou ainda da cozinha. Para quem quer presentear alguém que gosta de cozinhar ou precisa aprender urgente esta tarefa (meu caso rsrsrs), é uma ótima opção. Ele está à venda por R$ 110 na loja online do Senac.

E para quem quiser ter uma ideia sobre o que vai encontrar no livro e sobre a autora, veja o vídeo abaixo. Rita ensina fazer uma omelete perfeita.

Gwyneth e sua paixão por comida

Não sei se já comentei aqui, mas atriz americana Gwyneth Paltrow tem uma paixão por culinária herdada por seu pai Bruce Paltrow (falecido em 2002) e tem uma newsletter e um site chamado Goop onde ela ensina a fazer vários pratos (inclui dieta detox), seja por receitas escritas ou vídeos dela cozinhando.

Sua paixão por gastronomia lhe rendeu a capa de agosto 2010 da Vogue norte-amerciana, escrita pelo jornalista Jeffrey Steingarten, que para a matéria, ou projeto como ele mesmo chama, cozinhou com Gwyneth duas vezes, uma no seu apartamento em Manhattan e uma na sua casa em Londres. Com texto detalhista e muito gostoso de ler, Jeffrey ficou impressionado com a habilidade da atriz e o seu resultado na cozinha. Clique aqui para ler a matéria.

Ele ainda conta que Gwyneth vai lançar seu livro de receitas (uma mistura de pratos da sua família e que aprendeu ao longo da vida com amigos e livros) em homenagem ao seu pai. My Father’s Daughter será lançado em abril de 2011.

Para esta Segunda sem Carne, escolhi uma receita mexicana. Como traz camarões, os vegetarianos lights podem usar este ingrediente. Já os que não comem frutos do mar, é só tirar este crustáceo da receita. Assista ao vídeo abaixo e aprenda a fazer esta receita ou clique aqui para anotá-la.

Em tempo, as fotos da matéria e capa da Vogue com Gwyneth são do badalado fotógrafo Mario Testino. Vale a pena conferir abaixo.

vogue-agosto2010

vogue-agosto2010-gwyneth3

vogue-agosto2010-gwyneth4

vogue-agosto2010-gwyneth2

vogue-agosto2010-gwyneth

Manual de alimentação de Michael Pollan

Na sexta-feira tive a oportunidade de assistir ao documentário Food, Inc, sobre o qual já falei aqui. Resumo: muito bom! Fala sobre a alimentação norte-americana (e que se espalhou pelo mundo inteiro) e principalmente mostra a realidade sobre de onde vem o que a gente come. Imperdível.

Nele, um personagem importante que aparece durante todo o documentário é o jornalista Michael Pollan, autor de quatro livros sobre alimentação. O último chama-se Food Rules: An Eater’sManual e pode ser encontrado na Amazon.

No início do ano ele foi entrevistado pela Oprah Winfrey para falar sobre seu livro e sobre o filme Food, Inc, programa que o GNT reprisou na última sexta-feira. Clique aqui e veja o trecho da entrevista com Michael Pollan na Oprah. Muito bom. É para você se inspirar (e se informar) nesta Segunda sem Carne.

Para comprar o DVD do documentário Food, Inc. clique aqui.

Related Posts with Thumbnails