Dia das mães de última hora

O Dia das Mães está chegando e sempre sobra um presente para comprar de última hora, seja para a mãe, filha que já é mãe, mulher ou sogra. Por isso o Verdinho Básico preparou uma lista de sugestões para diversos gostos e bolsos.

Para a mãe-consumista, que tal um livro que é um guia de moda ética para a consumidora consciente? Eco Chic de Matilda Lee foi traduzido para o português e adaptado para a realidade e mercado brasileiro. No fim uma lista de lojas e endereços para comprar sem peso na consciência. Editora Larousse, R$ 30 na Livraria Cultura

Se você procura algo mais em conta mas ao mesmo tempo super diferente, por que não dar um gloss para o cabelo feito com manga tropical orgânica? A Cadiveu vende um que deixa o cabelo com efeito brilhante e hidrata ao mesmo tempo. E a embalagem (reciclável, claro) é ótima para carregar na bolsa. R$ 29 na loja virtual da Orgânicos Cadiveu

Se você quer investir em um presente com design incomparável, que tal a luminária Leaf da Herman Miller com lâmpadas de LED. Assinada pelo designer Yves Béhar, ela pode ser usada em vários formatos e mais parece uma peça de decoração. Sai por U$ 960. SAC: (11) 3729-9555 ou www.hermanmiller.com.br

Toda mulher gosta de cheirinhos relaxantes para ambiente. Nada mais agradável que ficar descansando depois de um dia de trabalho ou ainda em um sábado. A L’Occitane tem um incenso de lavanda orgânica que é imbatível. R$ 66, nas lojas ou pelo site (clique aqui).

E como não podia deixar de faltar, ainda para a mãe que gosta de moda e se preocupa com o Planeta, que tal uma camiseta da verdinha & básica? Com estampa de sapato de salto alto ou de um solitário, a versão preta é um upcycle: o tecido foi comprado de uma marca que fechou as portas e é feito liocel, super macio e confortável. R$ 80 pelo site www.verdinhaebasica.com.br

Conheça o premiado Village Green

Um sistema de ventilação natural sem ar condicionado, a adoção de lâmpadas eficientes que desligam através de sensores inteligentes, um sistema de economia, filtragem e tratamento de água, o uso somente de madeira certificada, carpetes recicláveis, tintas, adesivos e solventes com baixa emissão de elementos tóxicos e a utilização de materiais de construção local, vindo de até 30 quilômetros de distância.

Estes são alguns quesitos que fizeram o Village Green, head quarter internacional da Herman Miller, conquistar as certificações de construção “verde” LEED (americana) e BREEAM (inglesa). Para saber mais, leia matéria que escrevi sobre esta empresa de design sustentável no caderno Planeta do jornal O Estado de S. Paulo e assista ao vídeo abaixo que fiz durante a minha visita ao prédio em Chippenham, na Inglaterra.

Related Posts with Thumbnails