Sseko Designs pela educação em Uganda

Em 2008 Liz Forkin foi para Uganda em trabalho voluntário e descobriu que mulheres recém-formadas do segundo grau, apesar de terem sonhos de cursar universidades e seguir carreiras, paravam de estudar por falta de dinheiro.

seeko

O sistema educacional do país dá um período de nove meses entre a formatura e o ingresso da faculdade para que os estudantes consigam trabalhar e ganhar o suficiente para cobrir os estudos. Mas o problema é que em uma sociedade machista como essa, as mulheres conseguiam somente os trabalhos piores, onde eram mal remuneradas e mal tratadas.

Foi aí que Liz decidiu fazer o seu negócio, para ajudar estas mulheres a darem continuidade a sua vida educacional. Assim nasceu a Sseko, que significa risada na língua local. As jovens são contratadas por salários justos, têm boas condições de trabalhos e são incentivadas para terem carreira própria.

seeko-creative

Ela resolveu desenhar e desenvolver uma sandália de couro com tiras feitas de pedaços de tecidos. O modelo é único e você pode comprar diversas tiras e amarrá-las de maneira diferentes, assim fica com muitas opções. Além das versões para o dia-a-dia, Liz criou as sandálias de casamento, com tiras de cetim ou outros materiais mais chiques.

seeko-starboardmain

seeko-mustardseedmain-01

seeko-newchinaflower

seeko-wedding_sandals_green

Agora Liz e seu marido estão viajando pelos Estados Unidos para divulgar este projeto. Dá uma olhada no vídeo abaixo.

Sseko Road Trip! from liz bohannon on Vimeo.

Cuidados florestais para os cabelos

A The Body Shop acaba de lançar uma linha de produtos eco-conscientes para os cabelos. Batizada de Rainforest Hair Care, ela traz produtos feitos sem corantes, sem silicone, sem parabeno e sem sulfatos (oba, mais shampoos para quem tem alergia a este ingrediente).

Os produtos foram criados para os vários tipos de cabelos – seco, oleoso, normal e colorido. Ou seja, com certeza você vai encontrar um que agrade as suas madeixas. Clique aqui e faça o teste para descobrir qual melhor produto para você.

rainforest-haircare

Diversas matéria-primas são orgânicas ou cultivadas de forma sustentável por comunidades que levam o selo de comércio justo e ficam no Brasil, Paraguai, África, Guatemala e Itália. Em respeito ao ambiente aquático, é utilizado ingredientes atóxicos aos organismos que vivem neste meio.

Todos os componentes que fazem espuma e pelo menos 75% dos que têm base de carbono são biodegradáveis. Isto significa que pelo menos 60% deles são transformados por organismos vivos em simples químicos em apenas 28 dias.

Além disso, as embalagens são feitas de plástico reciclado pós-consumo e o papel ou cartão, quando utilizado, é certificado pelo Forest Stewardship Council – FSC, que atesta que o papel não vem de área de desmatamento.

Os shampoos, condicionadores, spray desembaraçante e máscara custam de 3,5 a 14 dólares, conforme o tamanho.

Do “sangue, suor e camiseta” à pin up

“A moda dos anos 40 e 50 continua em alta até hoje. Este é o verdadeiro estilo”, afirma a Tara Starlet sócia da marca de roupas que leva o seu nome (ideia da sua sócia e mãe) e faz modelos com estilo rockabilly e pin up usando tecidos e roupas antigas – mais uma vez o upcycle aparece aqui.

ts1

Aos 23 anos, esta jovem estilista já se enveredou de vez para o lado fair trade e eco da moda. Também pudera, ela foi uma das participantes do programa Blood, Sweat and T-Shirts (Sangue, Suor e Camiseta) da rede de televisão inglesa BBC que levou seis apaixonados por moda para a Índia para trabalhar durante um mês em fábricas que exploram seus funcionários.

ts2

Depois desta experiência, ela passou a dar palestras contando o que presenciou e teve certeza de que queria trabalhar com moda, mas com o intuito de mudar esta realidade. Foi assim que Tara decidiu começar a trabalhar na marca da sua mãe, onde entrou e deu uma guinada sustentável na empresa. Seus vestidos podem também ser encontrados na famosa rede inglesa Topshop.

ts3

ts6

ts5

ts7

Dá uma olhada na entrevista com a Tara no vídeo abaixo.

Neal’s Yard: fair organic beauty

Produtos de beleza já são uma delícia (testar, comprar e usar), melhor ainda quando são orgânicos ou feitos de maneira sustentável e sem “químicas nojentas”, como eles dizem por aqui. Por isso que tenho uma lista de lojas que gosto de visitar quando estou em Londres. Ontem foi a vez de ver o que há de novo em duas lojas já bem conhecidas: a Neal’s Yard Remedies e a Body Shop.

A Neal’s Yard Remedies foi para o Brasil 10 anos atrás, quando eu ainda trabalhava no site Chic (logo no seu nascimento) e fiz uma matéria com eles. Sempre gostei dos seus produtos. Ah, aquela água de rosas para passar no rosto… Mas a marca não teve tanto sucesso no Brasil como tem por aqui na Inglaterra.

A empresa está caminhando rumo aos produtos 100% orgânicos e com certificação de fair trade, o comércio justo, de todas as suas linhas. O mais interessante é que cada um dos seus produtos trazem no rótulo, atrás, um quadrado verde com a porcentagem de ingredientes orgânicos presente na sua composição. Assim, é possível saber se aquele creme que você tanto gosta traz muitos ou poucos ingredientes cultivados sem pesticidas e agrotóxicos.

cremes2

E o mais interessante é que agora (pelo menos eu nunca tinha visto isto aqui) você pode escolher as amostras que quer levar para casa e testar. Assim o cliente evita de comprar algo que não vai usar e de jogá-lo no lixo ou deixá-lo envelhecer na gaveta. Eles colocam em uns micro potinhos com diâmetro menor que uma moeda de um real. Mega fofo!

Como agora eu travei uma batalha contra as minhas olheiras, vou testar dois cremes para os olhos, além da máscara facial e hidratante de rosas. Depois eu conto para vocês se eu comprei algum deles e quais foram aprovados!

cremes

Já a Body Shop nunca chegou ao Brasil (que dizer, no Free Shop do Rio tem), mas faz questão de dizer que suas linhas são naturais e também está dedicada a desenvolver cremes orgânicos. Clique aqui e veja no blog Ecochique como foi minha experiência lá.

Comércio Justo no Brasil e no mundo

Conheça alguns dos principais atores e importadores do Comércio Justo mundial:

NEWS – Rede das Lojas do Mundo na Europa

EFTA – Associação Européia de Importadores de Comércio Justo

IFAT – Associação Internacional de Comércio Justo

FLO – Organização de Certificação do Comércio Justo

Importadora Solidaridad Holanda

Importadora Oxfam Magasins du Monde

Importadora CTM Altromercato

Federação de Lojas de Comércio Justo – Artesãos do Mundo

Shared Interest: Financiamento de pedidos de comércio justo

Importadora Canadense Ten Thousand Villages

Importadora do Reino Unido Trade Craft

Fair Planet: Importadora de moda marca “Tudo Bom?”

Campanha “Faça o comércio justo” – Oxfam

ONG Oxfam International

Onda Solidária: ONG de comércio justo brasileira

Plataforma Brasileira de Comércio Justo e Solidário

Instituto Káiros pelo consumo responsável

Related Posts with Thumbnails