Crowdtudo: economia do compartilhamento

Assim como falei em post anterior, A Natura criou o movimento Sou para Todos Nós. E o segundo tema abordado foi o crowdfunding, crowdsourcing e crowdlearning, enfim, o crowdtudo, ou economia de compartilhamento. Muita gente já conseguiu tirar um projeto da ponta do lápis com a ajuda (leia-se dinheiro) de pessoas desconhecidas ou seguiu um sonho por entrar numa vertente colaborativa. Dá uma olhada em quem já está fazendo isso.

29 de março: Hora do Planeta 2014

Neste sábado vai acontecer o evento anual do movimento Hora do Planeta, onde o mundo apaga as luzes por uma hora a partir das 20h30 (cada um com seu horário local). O que muita gente não sabe é que este projeto iniciado pelo WWF ganhou muita força e existe o ano inteiro. Já está em mais de 150 países e ganha cada vez mais adeptos.

Em 2014, a Hora do Planeta tem o prazer de lançar a primeira plataforma mundial de crowdfunding para projetos em prol do planeta, a Earth Hour Blue. Imagina só que bacana poder investir em algo que ainda vai ajudar a melhorar o mundo onde nossos filhos vão viver.

E para quem gosta de ficção, a boa notícia é que o Homem Aranha é o primeiro embaixador super herói da Hora do Planeta.

Dá uma olhada no vídeo abaixo, que como todos deste movimento, é bem inspirador.

Tendência fashion: reciclagem de roupa

Já pensou em reciclar suas roupas usadas? Pois é, a rede sueca de fast fashion H&M (Hennes&Mauritz) acaba de lançar o primeiro programa mundial de reciclagem de vestuário. Segundo a marca, 95% das peças “velhas” jogadas no lixo poderiam ser reutilizadas ou ter os seus tecidos reciclados.

Para incentivar a clientela a aderir a ideia, a H&M dá um voucher com desconto para cada sacola de roupas entregue na loja. Nos Estados Unidos, o desconto por sacola é de 15% na compra de uma peça de qualquer valor. Em Londres, este cupom é de 5 libras e pode ser usado nas compras acima de 30 libras. Cada cliente pode levar no máximo duas sacolas por dia. A boa notícia é que a marca aceita receber qualquer peça e de qualquer marca.

O objetivo é diminuir o impacto ambiental da indústria da moda ao reduzir o lixo que vai para os aterros. As peças recolhidas nas lojas são enviadas para o centro mais perto da H&M e separadas conforme sua condição de uso.

Aquelas que ainda podem ser usadas são vendidas como “segunda mão”. As que não estão em bom estado para uso são convertidas em pano para limpeza. Peças cujos tecidos estão ruins são recicladas. Suas fibras são reaproveitadas para fazer novos tecidos ou podem ser usadas como enchimento e ou isolante na indústria de automóveis. Quando nenhuma das opções anteriores é possível, as peças são usadas para produzir energia.

A marca afirma que a receita obtida com esta ação será convertida em doações para instituições de caridade, investimento em inovação para reciclagem e descontos para os clientes.

Apesar da H&M ainda não ter aberto sua tão prometida loja no Brasil, a idéia é válida e podia servir de exemplo para tantas outras marcas com alcance nacional.

hm-conscious-collection

Em outras indústrias, os programas de reciclagem já são mais freqüentes. A renomada grife de maquiagem MAC tem um projeto antigo e bem legal. É possível ganhar um batom ao levar seis embalagens de produtos MAC. Já o Boticário recolhe frascos usados nas suas lojas. Aqui nos Estados Unidos, a marca de beleza Origins tem um projeto desde 2009 e até hoje já coletou mais de 15,5 mil quilos de embalagem cosmética das mais diversas grifes.

A gigante de tecnologia Apple recicla equipamentos eletrônicos antigos e, quando eles têm algum valor de mercado, a empresa dá um gift card ao cliente. O montante depende do produto. São aceitos iPhone, iPad, computadores e notebooks Mac ou PC. Quem quiser descartar um iPod velho ou celular de qualquer marca ganha 10% de desconto na compra de um iPod novo (menos no modelo Shuffle).

Estas e outras iniciativas para minimizar o impacto ambiental mostram que as empresas têm mais uma responsabilidade no ciclo de vida dos produtos que fabricam e vendem: o descarte. As ideias mais inteligentes são aquelas que estimulam o cliente participar e revertem esta obrigação em benefícios para o consumidor e para a marca. Todos saem ganhando e o planeta agradece.

hm_recycle

(Matéria escrita por mim e publicada na edição de maio de 2013 da revista valeparaibano)

Atores fazem campanha contra Belo Monte

Nas últimas semanas uma das mais populares – e melhores – campanhas na internet a favor do meio ambiente discute um assunto sério de uma maneira muito descontraída e gostosa: a hidrelétrica de Belo Monte.

O Movimento Gota d’Água é o responsável por este vídeo que contou com a participação de 19 atores globais que vêm chamar a atenção para uma construção de 30 bilhões de reais (sendo que 24 milhões sairão dos nossos bolsos) que os brasileiros não estão nem preocupados em discutir.

E você, o que acha do assunto? Se for contra a construção desta usina que vai produzir somente 30% do seu potencial energético e vai alagar mais de 600 quilômetros quadrados da Amazônia, clique aqui e assina a petição.

O segundo vídeo também foi feito pelo Movimento Gota D’Água e é um sátira à postura de vários brasileiros. Vale a pena assistir.

Que a força esteja com eles… para detox!

Ultimamente o Greenpeace tem feito campanhas muito legais com filmes engraçados contra ações e posturas de algumas grandes empresas globais. A ideia é chamar a atenção dos consumidores e da empresa, que se sente forçada a tomar uma atitude consciente. Teve o vídeo do Ken terminando o namoro com a Barbie pois a Mattel usa caixas para embalar a boneca com papel proveniente de florestas destruídas e que estavam extinguindo macacos.

Outro que ganhou destaque é o Dark Side (Lado Negro) da Volkswagen – já que a montadora se recusa a cortar suas emissões de CO2. Confira abaixo o vídeo, que é uma brincadeira com a campanha que a própria VW está veiculando. Repara no Darth Vader dançando no final.

Já no mundo da moda esportiva, o Greenpeace descobriu fábricas na China que estavam jogando resíduos químicos fora, nos rios e mares, sem nenhum tratamento, o que estava acarretando na contaminação da água, do solo e de vida marinha. A organização descobriu que tanto a Nike como a Adidas produziam peças em algumas dessas fábricas e lançou um desafio da desintoxicação / Detox Nike vs Adidas. As empresas se comprometeram a reverter a situação, bem como a Puma. Veja o vídeo abaixo.

 

Related Posts with Thumbnails