Crowdtudo: economia do compartilhamento

Assim como falei em post anterior, A Natura criou o movimento Sou para Todos Nós. E o segundo tema abordado foi o crowdfunding, crowdsourcing e crowdlearning, enfim, o crowdtudo, ou economia de compartilhamento. Muita gente já conseguiu tirar um projeto da ponta do lápis com a ajuda (leia-se dinheiro) de pessoas desconhecidas ou seguiu um sonho por entrar numa vertente colaborativa. Dá uma olhada em quem já está fazendo isso.

29 de março: Hora do Planeta 2014

Neste sábado vai acontecer o evento anual do movimento Hora do Planeta, onde o mundo apaga as luzes por uma hora a partir das 20h30 (cada um com seu horário local). O que muita gente não sabe é que este projeto iniciado pelo WWF ganhou muita força e existe o ano inteiro. Já está em mais de 150 países e ganha cada vez mais adeptos.

Em 2014, a Hora do Planeta tem o prazer de lançar a primeira plataforma mundial de crowdfunding para projetos em prol do planeta, a Earth Hour Blue. Imagina só que bacana poder investir em algo que ainda vai ajudar a melhorar o mundo onde nossos filhos vão viver.

E para quem gosta de ficção, a boa notícia é que o Homem Aranha é o primeiro embaixador super herói da Hora do Planeta.

Dá uma olhada no vídeo abaixo, que como todos deste movimento, é bem inspirador.

O consumo te consome?

Consumo consciente é um tema cada vez mais presente no dia a dia das pessoas. Mesmo para aqueles que não se importam com o destino do lixo ou com tópicos mais abrangentes como sustentabilidade, o acúmulo de tranqueiras em casa é algo que incomoda as pessoas. E isso só existe pois o mundo compra muito mais do que precisa e do que usa.

Para estimular a reflexão antes, durante e depois do consumo, a empresa de cosméticos Natura criou o movimento “Sou para Todos Nós”. A ideia é levar para o maior número de pessoas esta questão, sem apontar o que é certo ou errado. Mas mostrando experiências e opiniões de pessoas que estão engajadas no assunto.

Para isso foi escolhido um lugar bem democrático: a internet. Através de Hangouts – bate papos virtuais -, grupos de convidados discutiram diversos temas do universo do consumo. Cada encontro durou cerca de uma hora, e um minidocumentário nasceu de cada uma dessas conversas.

Fui convidada para participar do pontapé do projeto, cujo tema foi “O consumo te consome?”. Confesso que gosto de consumir, mas felizmente o consumo não me consome! Veja abaixo o minidocumentário ou, se tiver tempo, o bate-papo na íntegra. E aí, o consumo te consome?

Tendência fashion: reciclagem de roupa

Já pensou em reciclar suas roupas usadas? Pois é, a rede sueca de fast fashion H&M (Hennes&Mauritz) acaba de lançar o primeiro programa mundial de reciclagem de vestuário. Segundo a marca, 95% das peças “velhas” jogadas no lixo poderiam ser reutilizadas ou ter os seus tecidos reciclados.

Para incentivar a clientela a aderir a ideia, a H&M dá um voucher com desconto para cada sacola de roupas entregue na loja. Nos Estados Unidos, o desconto por sacola é de 15% na compra de uma peça de qualquer valor. Em Londres, este cupom é de 5 libras e pode ser usado nas compras acima de 30 libras. Cada cliente pode levar no máximo duas sacolas por dia. A boa notícia é que a marca aceita receber qualquer peça e de qualquer marca.

O objetivo é diminuir o impacto ambiental da indústria da moda ao reduzir o lixo que vai para os aterros. As peças recolhidas nas lojas são enviadas para o centro mais perto da H&M e separadas conforme sua condição de uso.

Aquelas que ainda podem ser usadas são vendidas como “segunda mão”. As que não estão em bom estado para uso são convertidas em pano para limpeza. Peças cujos tecidos estão ruins são recicladas. Suas fibras são reaproveitadas para fazer novos tecidos ou podem ser usadas como enchimento e ou isolante na indústria de automóveis. Quando nenhuma das opções anteriores é possível, as peças são usadas para produzir energia.

A marca afirma que a receita obtida com esta ação será convertida em doações para instituições de caridade, investimento em inovação para reciclagem e descontos para os clientes.

Apesar da H&M ainda não ter aberto sua tão prometida loja no Brasil, a idéia é válida e podia servir de exemplo para tantas outras marcas com alcance nacional.

hm-conscious-collection

Em outras indústrias, os programas de reciclagem já são mais freqüentes. A renomada grife de maquiagem MAC tem um projeto antigo e bem legal. É possível ganhar um batom ao levar seis embalagens de produtos MAC. Já o Boticário recolhe frascos usados nas suas lojas. Aqui nos Estados Unidos, a marca de beleza Origins tem um projeto desde 2009 e até hoje já coletou mais de 15,5 mil quilos de embalagem cosmética das mais diversas grifes.

A gigante de tecnologia Apple recicla equipamentos eletrônicos antigos e, quando eles têm algum valor de mercado, a empresa dá um gift card ao cliente. O montante depende do produto. São aceitos iPhone, iPad, computadores e notebooks Mac ou PC. Quem quiser descartar um iPod velho ou celular de qualquer marca ganha 10% de desconto na compra de um iPod novo (menos no modelo Shuffle).

Estas e outras iniciativas para minimizar o impacto ambiental mostram que as empresas têm mais uma responsabilidade no ciclo de vida dos produtos que fabricam e vendem: o descarte. As ideias mais inteligentes são aquelas que estimulam o cliente participar e revertem esta obrigação em benefícios para o consumidor e para a marca. Todos saem ganhando e o planeta agradece.

hm_recycle

(Matéria escrita por mim e publicada na edição de maio de 2013 da revista valeparaibano)

Em um ano, dos livros pediátricos para os blogs de mães

Nem parece, mas um ano se passou desde o momento mais emocionante da minha vida. Meu filho acaba de comemorar o seu primeiro aniversário e posso dizer que os últimos doze meses foram muito intensos e felizes. Quantas coisas eu, meu marido e meu filho aprendemos juntos e vivemos. Mas o mais impressionante é o quanto o Nick cresceu. Ele era micro, nem se mexia direito, e agora já sai correndo de mim engatinhando e fica em pé toda hora, indo de um carrinho para um brinquedo para um sofá. Já está quase andando sozinho. Não só ele cresceu como nós, pais, amadurecemos.

Quando estava grávida, lembro que não largava os livros do pediatra norte-americano Dr Benjamin Spock ou o da encantadora de bebês Tracy Hogg. Lia tudo com antecedência para saber o que fazer quando me deparasse com tal situação. Isso sem contar o site BabyCenter.com, que me acompanhou diariamente durante toda a gravidez e nos primeiros meses do Nick. E foram todos muito úteis. Recomendo.

Mas de um tempo pra cá, venho percebendo que minha sede por estudar as fases e os próximos desafios do Nick vem diminuindo muito. Até parei de apelar pro Google quando ele fica doentinho. Acho que muito disso deve-se ao fato de que cada criança desenvolve de um jeito e num tempo diferente. Mas também esta attitude tem a ver com a confiança dos pais. Eu e meu marido temos criado o Nick como achamos melhor. Acho que estamos seguindo os nossos instintos mesmo. Até porque não existe o certo ou o errado na maioria dos casos.

Com isso, tenho gostado cada vez mais de ler blogs de mães. Isto porque elas contam experiências, dividem ideias e aflições e dão dicas reais que vão além das teorias e da medicina. Tratam de situações do dia a dia pelas quais todas as mães passam. E os comentários dos posts viram uma sala de bate-papo com troca de opiniões. Quem nunca teve problema com uma criança no supermercado ou no restaurante? Como lidar com os eletrônicos na vida do pimpolho? Qual mulher que não quer dicas para recuperar a forma depois do parto?

Outros blogs tratam de assuntos mais específicos, como viagem com os filhos, programas para fazer com as crianças, ideias para festa, roupa e receitas. Enfim, tudo o que um mãe, que também é uma mulher e uma profissional, procura saber para curtir o filho, e a vida.

Então, para os pais de plantão, aqui vai uma listinha. Ah, ela também serve para os avós e tios.

Mãe da Rua – www. maedarua.com.br
De Mãe para Mãe – estilo.br.msn.com/demaepramae/
NY with Kids – www.nywkids.com
Just Real Moms – www. justrealmoms.com.br
Mamãe tá ocupada – www.mamaetaocupada.com.br
Salto Alto e Mamadeiraswww.saltoaltoemamadeiras.com.br

Mae da Rua

 (Artigo escrito por mim e publicado na edição de abril de 2013 da revista valeparaibano)

Related Posts with Thumbnails